Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Jornal Folha Cidade | 12 de dezembro de 2017.

Scroll to top

Top

Um Comentário

Entrevista da semana: Priscila Maris

Entrevista da semana: Priscila Maris
Da redação

A professora e dançarina Priscila Maris fala sobre o início da carreira e o desafio de consolidar um novo empreendimento – o Studio de Dança ‘Priscila Maris’

Em entrevista a Folha Cidade, a professora e dançarina Priscila Maris fala sobre o início da carreira e do casamento, além do desafio de consolidar um novo empreendimento em Ilha Solteira – o Studio de Dança ‘Priscila Maris’, que vem conquistando alunas (e fãs) desde março de 2013.

Folha Cidade: Como foi sua infância e o começo da sua carreira?

Priscila Maris: Nasci em Ribeirão Preto (SP) e desde os cinco anos de idade fiz várias atividades, como balé, jazz, patinação artística, piano. Meus pais sempre me incentivaram muito, principalmente minha mãe. Ela sempre quis ser modelo e atleta, mas não pôde porque meu avô não deixava. Ainda criança comecei a fazer trabalhos como modelo, com apoio da minha família. Só meus irmãos mais velhos, Daniel e Thiago, que morriam de ciúmes [risos]. Sempre tive uma ligação muito forte com o mundo artístico. Aos 15 anos, veio a oportunidade de ir para São Paulo (SP) trabalhar em uma agência de modelos. Nesta época fui morar sozinha, continuei os estudos, mas parei a dança. A carreira de modelo exigia muito.

Folha Cidade: Quanto tempo você ficou em São Paulo?

Priscila Maris: Fiquei por quatro anos. A agência dava o apoio básico. Aos 19 fui fazer um trabalho no Rio de Janeiro e comentei com uma colega que estava com saudade da dança. A mãe dela comentou que no Programa do Faustão estavam fazendo testes para o balé. Decidi participar e deu certo. Mudei para o Rio.

Folha Cidade: Em algum momento você tinha pensado em trabalhar em televisão? Teve um pouco de receio?

Priscila Maris: Na verdade não, mas não tive receio porque o balé do Faustão envolvia duas coisas das quais eu gostava muito, a dança e a televisão. Antes disso já tinha a vivência da carreira de modelo, o que me ajudou bastante.

Folha Cidade: Como era a rotina no balé do Faustão?

Priscila Maris: Não tinha muito rigor em relação à dieta ou medida de corpo, como é na carreira de modelo. O requisito é mais a aparência, o ‘estar bem no vídeo’. No meu dia a dia, mantinha o hábito de ir à praia, fazia muita caminhada na orla, exercícios na água, além de ter a academia a disposição. Mas nunca fui o que eles chamam de ‘rata de academia’.

Folha Cidade: Quando surgiu a oportunidade de participar da Dança dos Famosos?

Priscila Maris: Em 2009. Foi uma surpresa porque o Faustão escolhia e falava ao vivo quem seriam as meninas do balé. Na época eram 25 bailarinas no total e fiquei muito feliz de ser escolhida. Fiquei animada com a oportunidade de mostrar mais o meu trabalho e me aprimorar como dançarina e professora. Foi uma experiência profissional muito rica. Um mês depois, conheci o Rafa. [o jogador de futebol, Rafael Pereira da Silva]

Folha Cidade: Como foi o primeiro encontro?

Priscila Maris: Foi engraçado, um encontro por acaso em um restaurante no Rio de Janeiro. Estava com uma amiga e ele com um grupo de amigos. Nem eu sabia que ele era jogador de futebol, nem ele sabia que eu era bailarina do Faustão. Sei que deu muito certo e um mês depois estávamos namorando. Ainda em 2009, engravidei do Enzo e passei a acompanhar o Rafa nas mudanças que ele precisava fazer pelo futebol. Moramos em Goiânia (GO) e em Salvador (BA), que foi onde o Enzo nasceu. O casamento foi celebrado aqui em Ilha Solteira, cidade em que o Rafa nasceu e foi criado – e onde nós escolhemos morar em 2011.

Folha Cidade: Foi um choque de realidade trocar grandes capitais por Ilha Solteira?

Priscila Maris: Na verdade foi algo bem conversado entre nós dois. Pensamos mais no Enzo. Como a infância do Rafa foi muito boa em Ilha Solteira, entendemos que para o Enzo e para nossa família seria melhor. Depois de um tempo fui ficando entediada, com vontade de trabalhar, ter alguma atividade além de ser mãe. Sentia muita falta da dança e como sempre trabalhei desde pequena, quis retomar. De certa forma, a dança também era uma válvula de escape para mim. Foi quando surgiu a idéia de montar o estúdio de dança, em 2013.

Folha Cidade: Sentiu muita dificuldade no início?

Priscila Maris: Foi um desafio, cada aluno era uma conquista. Acho que comecei bem, mas sempre existia aquela expectativa por ser algo novo. Hoje vejo que alcancei meu objetivo, minha meta. Agora tenho que dar um jeito de atender todo mundo [risos], trazer novidades, inovar sempre. A dança me faz muito feliz.

Folha Cidade: Alguma dessas novidades está programada ainda para este ano?

Priscila Maris: Sim, nos dias 6 e 7 de dezembro, às 20h30, vamos fazer o primeiro Festival do Studio de Dança Priscila Maris, na Casa da Cultura. Os ingressos estão à venda no Studio. Conto com a presença de todos.

Perfil

Nome: Priscila Maris Ferreira da Silva
Idade: 30 anos
Estado Civil: Casada
Filhos: Enzo, de 3 anos
Naturalidade: Ribeirão Preto (SP)

Compartilhe nas Redes Sociais


Comente com o Facebook


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/focuspro/public_html/jornalfolhacidade/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273