Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Jornal Folha Cidade | 19 de novembro de 2017.

Scroll to top

Top

9 Comentários

Número de acidentes na Avenida Brasil aumentou após construção de lombo-faixas

Número de acidentes na Avenida Brasil aumentou após construção de lombo-faixas
Luana Carvalho

Desde que as obras de revitalização da Avenida Brasil iniciaram o número de acidentes e batidas entre veículos aumentou significativamente.

É comum ver diariamente colisões entre veículos, além de ouvir várias vezes durante o dia o cantar dos pneus em freadas bruscas e o barulho incessante das buzinas de quem foi ultrapassado irregularmente por outro automóvel.

Originalmente a ideia da construção da ciclovia serviria para melhorar a qualidade do transito em Ilha Solteira, entretanto, a falta de orientação e conscientização que deveria partir da prefeitura para a sociedade não aconteceu.

Vale ressaltar que a culpa não recai totalmente sobre a prefeitura. Parte da população corresponde como sendo o próprio problema do trânsito. O fato se deve à falta de respeito por uma grande maioria dos motoristas, pedestres e ciclistas do município.

A ciclovia que deveria ser utilizada por ciclistas virou pista de caminhada para alguns pedestres e as vias e calçadas continuam sendo usadas por ciclistas. Nesse ponto entra-se em outro problema, o fato de que os mesmos pedestres e ciclistas nem sempre utilizam as lombo-faixas para travessias e quando as utilizam simplesmente cortam pela mesma não dando tempo suficiente para os veículos na via frearem, correspondendo a pequenos acidentes.

A outra parte do problema está na falta de respeito de boa parte dos motoristas, que excedem os limites de velocidade não só na Avenida Brasil, como também nas vias paralelas. Para quem não sabe, a avenida possui um limite de velocidade de 40km/h e as vias paralelas um limite de 30km/h, sendo comum ver veículos a no mínimo 60km/h. Segundo os moradores locais as vias paralelas são estreitas e quando há outros automóveis estacionados dificulta o trânsito no local. Sem falar nos motociclistas apressados que “costuram” a pista, realizando ultrapassagens irregulares e perigosas.

A partir do momento em que o motorista ultrapassa os limites de velocidade de uma via, ele próprio abre brecha para acidentes, uma vez que ao precisar realizar uma parada de emergência, como no caso das lombo-faixas, ele não fornece tempo hábil para o veículo que está atrás frear, ocasionado em batidas, quedas de motociclistas, e no caso de ultrapassagem pelas laterais, perigo ao pedestre que ainda poderá ser atropelado pelo outro veículo.

Mas os problemas não acabam e não são só de responsabilidade da população. A prefeitura é responsável por boa parte do problema. Pode-se afirmar que parte se deve ao fato de a prefeitura não ter e não estar realizando o trabalho de conscientização da população.

Atualmente esse trabalho é realizado, mas somente nas escolas de ensino fundamental. Pensar no futuro é importante, entretanto, quem dirige hoje são os pais e não as crianças. Sendo assim, seria de responsabilidade da prefeitura realizar esse trabalho de forma rigorosa, educando a população e quando necessário a punindo, o que não é visto por ai. Afinal, as lombo-faixas além de “assegurar” a travessia do pedestre, também são utilizadas irregularmente como retorno em vários pontos da cidade, principalmente próximo ao restaurante Cozinha da Vó, mesmo a poucos metros existindo a rotatória que dá acesso à FAPIC; e próximo a Maçonaria, onde também existe uma rotatória a poucos metros, que inclusive dá acesso à Câmara Municipal.

O restante do problema corresponde ao calçamento do município, o que justificaria a ciclovia ter virado pista de caminhada. Ao longo da Avenida Brasil, é possível ver o desnível das calçadas, além dos buracos que acabam dificultando a vida dos pedestres. Uma pessoa cadeirante, por exemplo, tem dificuldades para se locomover pela calçada, optando por locais mais nivelados como a ciclovia.

Pode-se concluir então que o que está faltando é mais educação e orientação de todas as partes envolvidas, caso contrário os problemas persistirão.

Compartilhe nas Redes Sociais


Comente com o Facebook


Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/focuspro/public_html/jornalfolhacidade/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273